Conheça a aluna de teatro que sonha com uma carreira artística

 

Texto: Redação | Foto: Divulgação  | Adaptação web Sara Loup

Priscila Chagas | Foto: Divulgação

Priscila Chagas | Foto: Divulgação

 

Moradora de Embu das Artes, em São Paulo, Priscila de Souza Chagas do Nascimento, de 17 anos, escolheu o teatro como forma de expressão para, inicialmente, perder a timidez, porém, o tempo passou e hoje ela não se imagina longe dos palcos.

“Estou no último semestre da Escola de teatro Macunaíma e pretendo prestar vestibular para artes cênicas”, afirma, com toda a segurança do mundo. Incentivada pela mãe, seu “porto seguro”, Priscila sonha alto, porém, com os pés no chão. Ela sabe que o caminho até o sucesso é árduo e exige muito esforço e dedicação. “Além do cursinho pré-vestibular, quero estudar inglês, espanhol e francês. É muito importante para a carreira”, diz a jovem, que toca violão, canta para a família, faz artesanatos como brincos e adereços de decoração.

Polivalente, quer retomar os estudos na área musical, cuja maior inspiração é Chico Buarque. Outro mestre, fonte de inspiração para sua vida é o avô. “É uma pessoa sábia, sem ter conhecimento teórico, o admiro muito”, afirma a promissora atriz, como ela mesma se define. “Quero, em cinco anos, estar com a faculdade concluída e com uma carreira construída com base nos estudos e no trabalho, fazer várias peças e me destacar no teatro.”

Filha única e sem namorado no momento, Priscila gosta de ler e ouvir música nas horas vagas. Outra de suas paixões é a filosofia, disciplina que lhe deu muitas respostas no ensino médio acerca das dúvidas comuns dos jovens. Neste mês, ela encarna nos palco a personagem Ana, de Vereda da Salvação. “Serei a filha do Manoel, a única que não é fanática”, conta, sobre a peça de Jorge Andrade que aborda a miséria, o fanatismo religioso e a falta de oportunidade nos estudos. A apresentação será no próprio Teatro Escola Macunaíma. A julgar pelo empenho, Priscila Chagas, seu nome artístico está no caminho certo!

Quer ver esta e outras colunas e matérias da revista? Compre esta edição número 156

Comentários

Comentários