Everton tem orgulho de ser negro e de ter o cabelo afro

 

Texto:Denise Pires| Foto: Divulgação | Adaptação Web Sara Loup

Everton Pereira da Silva | Foto: Divulgação

Everton Pereira da Silva | Foto: Divulgação

Everton Pereira da Silva, de 27 anos, trabalha no Cine Sesc, em São Paulo, como cozinheiro. E foi no local frequentado por atores e modelos que o jovem descobriu potencial para a área artística. “Um dos frequentadores disse que eu tinha um perfil bacana e me deu alguns toques para fazer testes para figuração”, relembra. O próximo passo era ter um book em mãos e, feito isso, a vida profissional de Everton começou a mudar. Dois meses depois as coisas começaram a acontecer para ele, fruto, é claro, de um intenso trabalho de divulgação pessoal e persistência.

A princípio, Everton pode ser apenas mais um negro cheio de estilo que almeja a carreira artística, porém, se depender dele... “Atuar é o que eu quero fazer na vida e estou investindo para isso. Participei de um workshop com o cineasta Jeferson De, faço aula de canto, além de inglês e do curso de teatro, que irei começar no segundo semestre”, conta. Na opinião de Everton seu cabelo é um forte aliado nessa busca por reconhecimento profissional.

Ele é adepto do estilo natural, ou seja, não abre mão do crespo, do black, de suas origens. “Meu pai é negro, minha mãe é branca, os dois são da época do funk de James Brown. Somos em seis irmãos e todos nós temos orgulho de ser negros e ter cabelos crespos.” Everton conta que muitas vezes alguém diz para ele passar alguma coisa para enrolar o cabelo. A resposta é sempre negativa e acompanhada de uma explicação. “Se a gente não se orgulhar de nossa beleza, vamos continuar a ser escravos. Tenho muito orgulho da minha raça e do meu cabelo afro. As oportunidades existem, veja onde elas estão e faça o seu melhor, faça acontecer. Eu sou isso aqui e já era!”, ensina o jovem, morador de Ferraz de Vasconcelos.

Quer ver essa e outras reportagens da revista? Compre essa edição 158

 

Comentários

Comentários