Dôra Martins morava na pequena cidade de São Pedro dos Ferros localizada no estado de Minas Gerais. Ela trabalhava em um mercadinho nesta cidade, porém seu sonho desde pequena era trabalhar na área da saúde.

As oportunidades oferecidas eram restritas e para poucos, porém seu desejo e credibilidade de que conquistaria seu sonho fez com que está ideia não saísse de sua cabeça. Certo dia, sem que ela esperasse, ficou sabendo que seria realizado na cidade vizinha um curso para formação em auxiliar de enfermagem, algo que sempre desejou, e que haveria um processo seletivo em sua cidade, mas o curso era somente para os profissionais que já trabalhavam na área da saúde.

Mesmo assim ela não perdeu tempo e logo no primeiro dia foi para a fila de inscrição e aguardou até que chegasse a sua vez. O entrevistador fez algumas perguntas e em determinado momento percebeu que ela não era da área da saúde, sendo assim pediu educadamente para que saísse da sala para que pudesse entrevistar o próximo candidato dizendo que as vagas eram somente para profissionais que já atuavam na área da saúde.

Não conformada com o posicionamento do entrevistador voltou no segundo dia sendo a primeira da fila, quando ela entrou na sala o entrevistador pediu para que ela saísse, foi quando ela disse:

- (Dôra): Por favor me dá um chance, o meu sonho é ser enfermeira.

- (Entrevistador): Não pode, não pode e não pode!

E foi tirando-a da sala. Ela sabia que esta seria a oportunidade de sua vida, então o que ela fez? Acreditem se quiser. Foi novamente tentar participar da entrevista no dia seguinte que seria o terceiro dia é último dia. Quando ela entrou na sala antes que o entrevistador falasse algo ela disse:

- (Dôra): Por favor, eu só quero que você me deixe fazer a entrevista.

- (Entrevistador): Então tá. Sendo assim me responde uma coisa. Qual a qualidade mais importante para ser uma enfermeira?

Neste momento ela ficou perdida e começou a dizer todas as palavras que vinham em sua mente. Depois de algum tempo o entrevistador disse que a qualidade de uma enfermeira é ter vocação. Depois de mais este episódio ele pediu para que ela saísse da sala, dizendo que o curso teria início na segunda e que ainda tinha de entrevistar muitas pessoas naquele dia.

Chegou a segunda-feira, data de início do curso, e adivinhem o que ela fez? Com um caderno novinho nas mãos foi para a porta da escola, chegando cedinho, e assim que os portões se abriram sentou-se no fundo da sala pensando que com 40 pessoas o responsável pelo curso a veria. Mas como tudo jamais pode ser perfeito quando ele chegou na sala quem viu lá no fundo???? Ela mesma, Dôra!!   Ele pediu para que ela saísse da sala, pois só poderia ter 40 alunos. Ela disse que havia contato e que só estavam presentes 39 alunos na sala, foi quando prometeu que quando o aluno de número 40 chegasse ela deixaria a sala.

O curso foi transcorrendo e nada de aparecer o aluno de número 40. Como ela costuma dizer este aluno foi um anjo que guardou a sua vaga por saber do desejo e dá vontade que ela tinha de ser uma enfermeira.

Chegado o final do curso, o responsável fez todos os agradecimentos para turma, porém a grande surpresa estava por vir. Foi quando iniciou a frase dizendo:

O hospital realizará a contratação de um aluno para uma vaga disponível no hospital, aquele que demonstrou dedicação, empenho e vocação. Adivinhem quem foi a escolhida? Ela mesma Dôra Martins.

O primeiro dia que eu coloquei a roupa branca eu me senti a pessoa mais importante do mundo!!! (palavras de Dôra)

Esta é uma história real a próxima pode ser a sua!

 

Veja o vídeo: http://www.youtube.com/user/megainovacao1

 

Amarildo Nogueira

Mestre em Gestão de Negócios pela Universidade Católica de Santos, MBA em Logística Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Business and Management International Professional pela University of California (Irvine-EUA). É Consultor empresarial e autor do livro Logística Empresarial: uma visão local com pensamento globalizado. Ministra Palestras e Treinamentos em todo Brasil, onde já desenvolveu e capacitou mais de 60.000 pessoas.

 

*Este artigo reflete as opiniões do autor. A Revista Raça não se responsabiliza e não pode ser responsabilizada pelos conceitos ou opiniões de nossos colunistas

Comentários

Comentários