Gedvydas Vainuaskas deu um 'show' de preconceito durante entrevista Foto: Reprodução

Um dos mais tradicionais times de basquete da Europa, o Lietuvos Rytas, da Lituânia, não vive seus melhores dias, fora até da fase final da liga local. Para o presidente Gedvydas Vainuaskas, há um motivo claro pelo insucesso na temporada: o excesso de negros na equipe.

"Temos como príncipio que não podemos contratar mais de dois jogadores negros por ano, mas o nosso treinador, Tomas Paceras, gosta de trabalhar com eles para ensiná-los e controlá-los", disse Vainuaskas, em entrevista a uma TV lituana, expondo todo o seu preconceito.

E ele não parou por aí. Segundo o dirigente, a presença de negros é prejudicial à equipe. "Acabamos jogando com quatro negros e, de repente, eles se reúnem e formam um tipo de bando. Você não pode ter mais do que dois, eu digo isso com meus 23 anos de experiência neste negócio. Quando têm mais de dois, isso começa a fazer mal para a equipe", finalizou.

Comentários

Comentários