Saiba mais sobre o roteiro turístico na África do Sul que passa por pontos importantes da vida de Nelson Mandela

 

TEXTO e FOTOS: Eduardo Vessoni | Adaptação web: David Pereira

Grafite no Soweto | FOTO: Eduardo Vessoni

Grafite no Soweto | FOTO: Eduardo Vessoni

Recentemente, o ministro do turismo, Marthinus van Schalkwyk, anunciou o mapa turístico Madiba-inspired tourist attractions (“Atrações turísticas inspiradas na vida de Madiba”, em tradução livre para o português), que lista os endereços relacionados à trajetória de Nelson Mandela, o mais famoso líder da luta contra o apartheid, ex-preso político e o primeiro presidente sul-africano a ser eleito democraticamente, após 46 anos do regime.

O projeto é uma criação do departamento oficial de turismo na África do Sul (South African Tourism) em parceria com a Nelson Mandela Foundation, e destaca pontos turísticos nas quatro províncias sul-africanas que fizeram parte da vida de Mandela. “A morte de Mandela comoveu o mundo inteiro e fez com que pudéssemos refletir sobre a vida desse homem fenomenal e comemorar todas as conquistas dele não apenas pela África do Sul, mas pela humanidade”, disse Schalkwyk, à época do lançamento do roteiro.

Roteiro turístico inspirado na vida de Mandela:

Madiba, como o famoso líder também era conhecido, é relembrado em endereços como o Soweto, cidade próxima a Joanesburgo; a Ilha de Robben, na Cidade do Cabo; e em museus espalhados que relembram os anos de segregação, como o impactante Apartheid Museum. “Mandela, sozinho, colocou a África do Sul no mapa e agora estamos retribuindo o favor”, disse o ministro.

Hector Pieterson Memorial, no Soweto | FOTO: Eduardo Vessoni

Hector Pieterson Memorial, no Soweto | FOTO: Eduardo Vessoni

Considerada uma das dez atrações principais da África do Sul, a Ilha de Robben, na Cidade do Cabo, foi a antiga penitenciária de segurança máxima que encarcerou Mandela por longos 19 anos, entre 1963 e 1982. Entre os séculos 17 e 20, a ilha funcionou como presídio, hospital e base militar.

Localizada a 11 quilômetros do continente, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1999, devido à sua história, que simboliza o triunfo do espírito humano, da liberdade e da democracia sobre a opressão, segundo definição da própria organização responsável pelo título. Atualmente, o local conta com visitas públicas que são guiadas por ex-presidiários.

A Cidade do Cabo homenageia Mandela também na Nobel Square, praça localizada no complexo turístico V&A Waterfront, que abriga esculturas dos quatro sul-africanos ganhadores de um Prêmio Nobel: o ex-presidente Frederik Willem de Klerk, o arcebispo Desmond Tutu, o ativista antiapartheid Albert Luthuli e o próprio Madiba.

Veja a segunda parte da reportagem.

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 192.

 

Comentários

Comentários