Familiares de Mãe Stella de Oxóssi pediram a intervenção do Ministério Público do Estado (MP) para ter acesso à ialorixá, considerada a mais influente e respeitada líder religiosa do candomblé em atividade no país. Em denúncia ao MP, uma sobrinha de Mãe Stella acusou pessoas do círculo íntimo da ialorixá de impedirem que ela tenha contato com parentes e filhos de santo do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, em São Gonçalo do Retiro. O relato feito aos promotores que atuam na área de defesa dos idosos incluiu ainda suspeitas de maus-tratos físicos e psicológicos contra Mãe Stella,  92 anos.

 “É sempre a alegação de que ela está descansando, e as pessoas não conseguem vê-la. Tudo bem que (Mãe Stella) é idosa, de fato precisa descansar para preservar a saúde, mas em determinado momento tem que ver as pessoas, os familiares. Desde domingo não conseguimos contato com ela”, disse a sobrinha da ialorixá, que confirmou o pedido de intervenção, mas só aceitou conversar com a Satélite sob condição de anonimato. Filhos do Ilê Axé Opó Afonjá ouvidos pela coluna reafirmaram o teor da denúncia apresentada aos promotores e revelaram preocupação com o isolamento de Mãe Stella . O MP, por sua vez, alegou desconhecer o caso.

Comentários

Comentários