Sobrevivi para contar é uma obra que narra a incrível história de Immaculée Ilibagiza

 

Texto: Redação | Foto: Divulgação

Sobrevivi para contar | Foto: Divulgação

Sobrevivi para contar | Foto: Divulgação

Nascida e criada em Ruanda, Immaculée Ilibagiza sobreviveu ao massacre histórico ocorrido no país africano em 1994, quando os hutus exterminaram quase 1 milhão de tutsi. Para escapar da morte, Immaculée se escondeu na casa de um pastor, onde dividiu o espaço de um banheiro com mais 7 mulheres, durante 91 dias.

“Compreendi que minha batalha para sobreviver seria travada em meu interior. Se eu perdesse a fé, não sobreviveria”,relata.  Ao sair, havia perdido 23 quilos, carregava uma Bíblia, um dicionário de inglês e um rosário. Após sofrer com a perda de sua família e amigos, e sobreviver em condições de vida precária, ela surpreendeu a todos, perdoando os assassinos e torturadores. Depois de recuperada, passou a trabalhar na Organização das Nações Unidas (ONU). Em 1998 mudou-se para Nova York e continuou a trabalhar nos escritórios da organização durante vários anos. Hoje, tem sua própria família e viaja o mundo realizando conferências.

 

Quer ver essa e outras reportagens da revista? Compre essa edição número 160

Comentários

Comentários