Leia trechos da entrevista com o empresário Afonso Carvalho, criador do projeto Sambabook que homenageia grandes cantores brasileiros

 

TEXTO: Daniel Keny | FOTO: Divulgação | Adaptação web: David Pereira

Zeca Pagodinho foi um dos homenageados pelo Sambabook | FOTO: Divulgação

Zeca Pagodinho foi um dos homenageados pelo Sambabook | FOTO: Divulgação

A Raça bateu um papo com o criador do Sambabook (projeto no qual grandes nomes da música nacional têm suas canções interpretadas por diversos outros cantores), o empresário Afonso Carvalho. Confira a entrevista a seguir! (Veja também as homenagens do Sambabook com Zeca Pagodinho e Martinho da Vila)

Como nasceu o Sambabook?

O Sambabook nasceu de uma ideia de homenagear compositores do samba, especialmente o João Nogueira. Sou empresário do Diogo Nogueira e da Beth Carvalho e muito envolvido com o universo do samba. Em uma conversa com o Diogo, ele comentava sua chateação pela falta de homenagens ao seu pai, enquanto via vários outros artistas sendo homenageados. Então, falei pra ele: “Por que nós mesmos não homenageamos o João?”. Partimos daí. Hoje nós temos a oportunidade de fazer trabalhos bacanas, com CD, DVD, com os artistas cantando ao vivo. Além disso, pensamos nas partituras, na história dele, que merecia um livro, algo como um songbook. Quando falamos isso, logo me veio o nome Sambabook. Foi aquela lampadazinha que acende na cabeça. Então, surgiu como uma homenagem ao João Nogueira, mas vimos que o projeto poderia continuar com outros grandes compositores.

O Sambabook é distribuído em várias plataformas e formatos. Sai em DVD, Blu-ray, boxe com cd’s, livro de partituras, aplicativo de celular... Fora isso, existe um site com todos os detalhes e ainda há atividade nas redes sociais. Você aposta nestas ferramentas para facilitar o acesso de diferentes públicos ao samba, especialmente os jovens?

Com certeza, foi uma preocupação nossa desde o início. A gente queria que o Sambabook fosse além do tradicional, fosse mais que um produto físico. A gente queria um projeto que tivesse continuidade em diversos segmentos, ou seja, algo além dos registros em áudio e vídeo. Por isso, temos as partituras dentro de um fichário, o que é essencial! Percebemos que os songbooks em formato de livro não eram funcionais para o uso em uma estante de partitura. Com o fichário, a partitura pode ser utilizada sem o volume restante. Enfim, tudo foi pensado para facilitar o acesso. O site, o aplicativo e as redes sociais são ferramentas dos tempos modernos que a gente precisa saber lidar da melhor maneira. No site e no aplicativo temos o “Aprenda a tocar”. A pessoa pode escolher uma música e ouvi-la sem determinado instrumento. Um cara que toca cavaquinho, por exemplo, pode acompanhar a música com a banda original, em sua casa. É fantástico. Imagina você tocando as suas músicas preferidas, do seu artista predileto, com alguns dos melhores músicos do Brasil?

Além de ser entretenimento, o Sambabook tem um papel educativo e cultural também, certo?

Entretenimento, educação, cultura e tecnologia. Desde o lançamento, o projeto venceu três prêmios em diferentes áreas.Ganhamos o “Prêmio de Tecnologia”, no Oi Tela Viva Móvel, o “Prêmio de Marketing Contemporâneo”, da Associação Brasileira de Marketing & Negócios (ABMN) e o Prêmio Contigo! na categoria “MPB Fm - Melhor projeto especial”.

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 188.

Comentários

Comentários