Desigualdade também é uma realidade nas empresas nos Estados Unidos

Nova York, 14 jul (Xinhua) — Nas maiores e mais poderosas empresas nos Estados Unidos, apenas um em cada 443 trabalhadores negros ou hispânicos tem cargo superior, enquanto um em cada 97 trabalhadores brancos é executivo, refletindo a desigualdade enorme no setor de empregos corporativos do país, informou o USA Today nesta quarta-feira.

“Os dados mostram que, mais de um ano após o assassinato de George Floyd (por um policial branco em Minneapolis, Minnesota) que estimulou promessas corporativas de mudança, as profundas desigualdades raciais persistem em todos os níveis dessas empresas, criando resultados muito díspares para as pessoas de cor, especialmente as mulheres de cor”, revela a reportagem.

Trabalhadores negros e hispânicos estão sub-representados nas posições mais bem pagas e influentes, bem como nas categorias de profissionais, como advogados e comerciantes, de acordo com o texto.

Além disso, “nos níveis mais baixos de organizações, eles estão concentrados – e frequentemente super-representados – em funções incluindo assistentes administrativos, técnicos e operários”, acrescentou.

O USA Today relatou essa disparidade conspícua com base nos registros de contratação não divulgados anteriormente de dezenas de empresas na Standard & Poor’s 100, um grupo das empresas mais valorizadas no mercado acionário.

Comentários

Comentários

About Author /

Start typing and press Enter to search