Revista Raça

Capa

Divas Bllack: marca gaúcha tem 6 tons de base para pele negra

  • Autor: redação redação

  • Publicado em: 29/10/2018

  • Comentários:

Formada em Administração, a gaúcha Rosane de Castro Terragno sempre foi aquela que “maquiava todas as amigas antes de uma festa e era a última a ir se arrumar”. Então, o dia em que cansou das constantes viagens por conta do emprego na área de vendas, decidiu investir em um universo que já conhecia e abriu uma loja de produtos de maquiagem no centro de Porto Alegre.

 

Foi questão de tempo para a iniciativa fazer sucesso e as consumidoras voltarem não apenas pelos produtos, mas também pela consultoria informal sobre beleza que Rosane dava para as clientes. E conviver diretamente com diversas mulheres a fez perceber algo que ainda estava em falta no mercado: uma linha de base específica para pele negra.

 

– Várias vezes, tive cliente saindo sem nada da loja porque eu não encontrava um produto que ficasse realmente bom naquela pele. Entravam cinco, seis mulheres negras e iam embora sem maquiagem porque não tinha base. Eu tentava, e não ficava bom, nem misturando. Isso que eu já nem pegava bases de marcas que não tivessem tons para pele negra – conta.

 

Disposta a suprir essa carência, Rosane tentou parceria com uma rede de maquiagens conhecida. Ouviu que “não era o momento para segregar e criar uma linha apenas para peles negras”. Achou que seria mais fácil ela própria tentar dar conta dessa lacuna, “afinal esse público existe e tem dinheiro para gastar”. Pesquisou marcas estrangeiras, investiu do próprio bolso, contratou laboratório e profissionais especialistas em pele negra e lançou a própria marca, a Divas Bllack, que, orgulha-se, já tem clientes como a atriz Cris Viana, a funkeira Jojo Toddynho e as blogueiras As Tavares.

 

Desde maio deste ano, além de sombras e pigmentos para todos os tons de pele, a marca conta com seis tons de base exclusivamente para peles negras, que vão desde o mais claro até o mais escuro, feito para as retintas. Os produtos recebem nomes de mulheres que têm alguma importância na vida da própria Rosane – Rafaella, o primeiro tom dos seis, é o nome da filha.

 

– Estou voltando agora pro laboratório para produzirmos mais bases, mas não tenho intenção de fazer o produto para pele claras. Muitas marcas fazem, não quero disputar esse mercado, sim, atender um público que muitas vezes não tem produto – explica.

 

O foco tem dado certo. Apesar de não ser a única marca voltada para a beleza negra – a Negra Rosa surgiu enquanto Rosane criava a Divas Bllack –, percebe que esse mercado ainda tem muito a ser explorado. Os produtos podem ser encontrados online, em lojas físicas e com revendedoras espalhadas pelo Brasil. Também já estão à venda em Angola.

 

Mas a empresária espera crescer mais. Para ela, o discurso de empoderamento que passa pela beleza reverberou menos no universo da maquiagem do que no dos cabelos porque “quando se fala de assumir os cachos, as marcas falam com todos os públicos”. Quando se fala de maquiagem para peles negras, o público são as mulheres negras.

 

Nas redes sociais – o Instagram @divasbllack já tem mais de 50 mil seguidores –, Rosane percebe um retorno carinhoso por parte de muitas mulheres que se sentem representadas pela linha, principalmente depois da sessão de fotos de divulgação das bases, que reuniu blogueiras, como a colunista de Donna Duda Buchmann, do Negra e Crespa, modelos e também clientes da loja que ainda mantém no centro de Porto Alegre.

 

– Todas mulheres negras, com corpos diferentes e reais mesmo. Eu sempre fui negra com pele clara, nunca tive problema com a questão da maquiagem, o tom mais escuro das marcas sempre funcionava para mim. Então, agora essa questão também é um aprendizado para mim, eu também estou entendendo um pouco desse caminho de empoderamento.

Fonte:Revista donna

Comentários

Comentários