Veja os detalhes do festival de Hip-Hop Rap a la Torta

 

TEXTO: Marco Antônio Miguel | FOTO: Divulgação | Adaptação web: David Pereira

O grupo de hip-hop da Colômbia, La Etnnia | FOTO: Divulgação

O grupo de hip-hop da Colômbia, La Etnnia | FOTO: Divulgação

Uma manifestação da força do hip-hop na Colômbia é o festival que ocorre anualmente no Parque Metropolitano Simon Bolívar, no centro de Bogotá. Durante dois dias, debates, duelos de b-boys, grafite e shows nacionais e internacionais chegam a reunir 90 mil pessoas. Tudo começou em 1996, quando alguns grupos se uniram e criaram o festival “Rap a la Torta”, com público ainda pequeno. No ano seguinte, sem apoio, principalmente nem da prefeitura, o festival foi cancelado. Já em 1998, o evento voltou com mais força e nunca mais parou, pelo contrário, só cresceu. Apostando no futuro, o “Rap a la Torta” dá grande espaço para novos grupos. Todos os anos mais de uma dezena de iniciantes dividem o palco com estrelas nacionais e internacionais.

Para quem gosta de pesquisar novidades, dê uma olhada no site do evento, que ocorre no mês de outubro. Lá você pode encontrar nomes como Clan Hueso Duro ou Cuervo Rolo; Sin Previo (Da cidade de Cartagena); e Contato Directo (de Buenventura). Destaque também para o Flaco Flow & Melanina, que faz muito sucesso na Colômbia desde que lançou a música La jungla, que fala da guerra com as Farcs. Outros bons grupos são o Fondo Blanco, La Cliccka, La Gallera, Estilo Bajo e Alizanza 33.

Mulheres no rap colombiano? A ala feminina vem com Diana Avella e com o grupo Hegemonia. E a interação do estilo musical com outros países é total. Bandas como Onyx e Das EFX, Naughty by Nature, Los Aldeanos (Cuba), além de rappers de Porto Rico, França, Canadá, são alguns dos nomes gringos que já se apresentaram em Bogotá. Os Tres Coronas também já tocou na cidade. Este grupo, em especial, é parte de um fenômeno interessante. Imigrantes, vivem em Nova Iorque e cantam em espanhol. Nos Estados Unidos são colombianos. Na Colômbia, são uma atração internacional!
Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 160.

Comentários

Comentários