Hoje teve final do reality A Fazenda e precisamos enaltecer a grande campeã Jojo Todynho

hamallidezembro 18, 20203 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/12/412B6C18-52FA-4F23-B611-EFE63324904D-1280x1600.jpeg

“O inimigo é repetitivo e não criativo”, “caráter não se compra em farmácia”, “seja a pessoa que você gostaria de conhecer”, “hoje o pau vai torar”, “Tá num spa? Tá num resort?”, “se quer paz, amém”, “se quer guerra tu me fala”, “Sustenta tua gracinha!”, “eu não tô maluca na minha tese”,  “o passado é lugar de referência e não lugar de permanência” e “eu preciso ir na polícia, roubaram meu cabelo”, são apenas algumas frases marcantes que nos acostumamos a ouvir durante o reality “A Fazenda”, da TV Record, pela protagonista da última edição, Jojo Todynho.

Rompendo padrões, a dona do hit “Que tiro foi esse?”, nos mostrou durante A Fazenda ensinamentos valiosos e que podemos fazer absolutamente tudo que quisermos, sem nos preocuparmos com o que as outras pessoas vão pensar. Isso é libertador, né? Quem aí não assistiu pelo menos uma festa do reality, com looks bafônicos, e se imaginou se divertindo com esse ícone? Já queremos nos aglomerar com ela depois que todos estivermos vacinados para celebrarmos a vida.

Inspirado na Jojo Todynho, nós fizemos um editorial incrível em parceria com a agência de modelos Max Fama, com muito brilho, muita cor e muita representatividade, que vai sair na próxima edição da nossa revista.  Hoje deixamos um aperitivo do que vem por aí. Vocês também gostaram da final?

Agência Max Fama: @maxfama_oficial

Maquiadora: Isabelle Freitas ( @zabellefreitas )

Assistente de maquiagem: Natália Moura ( @nataliamouramua )

Produtora de Moda: Cayhh Souza ( @cayhhsouza )

Fotógrafo: Jorge Luiz Garcia ( @jorgeluizgarcia_ )

Texto: Fernando Costa ( @f_costa )

Coordenadora da Pautas: Antônia Biazzi ( @antoniadebiazzi )
Produção executiva: Paulo Henrique Albuquerque ( @pauloybrasil )

Comentários

Comentários

hamalli

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários