Com o autobiográfico 'Na minha pele', ator e escritor liderou vendas na livraria oficial do evento. Autora de Ruanda teve dois livros no top ten.

O livro "Na minha pele" (Objetiva) foi o mais vendido na livraria oficial ao longo dos cinco dias da 15ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que se encerrou neste domingo (30).

A obra é uma mistura de memórias e reflexões sobre racismo, dentre outros assuntos. Ou uma "provocação", como disse o autor em recente entrevista ao G1.

Em segundo lugar na lista de best-sellers da Flip 2017 (veja, abaixo, os dez mais vendidos), ficou "A mulher dos pés descalços" (Nós), de Scholastique Mukasonga. No evento, a autora foi muito aplaudida ao contar sua história pessoal, dizendo: "O genocídio de Ruanda fez de mim uma escritora".

Uma outra obra da mesma autora, "Nossa senhora do Nilo" (Nós) ficou em quinto lugar no top ten da livraria do evento.

O pódio teve ainda "Com o mar por meio - Uma amizade em cartas" (Companhia das Letras), que registra as correspondências de dois grandes autores: o brasileiro Jorge Amado e o português José Saramago, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura.

De acordo a gerente da livraria Travessa, Natalie Lima, o número de exemplares vendidos foi 30% maiores do que em 2016. Ela não forneceu, no entanto, números detalhados. No ano passado, quando a bielorrussa Svetlana Alexiévitch terminou best-seller, o tal de vendas foi de 15.346 exemplares.

A responsável pela unidade atribuiu duas causas possíveis para crescimento em 2017.

Primeiro, o fato de a livraria ter sido montada na região da Praça da Matriz (local de maior circulação do público), e não na margem oposta do rio que cruza a cidade, como nas edições passadas. "Mas pode ter sido também por causa do período de férias escolares", apontou a gerente.

Veja, abaixo, os dez livros mais vendidos na Flip 2017:

  1. "Na minha pele" (Objetiva), de Lázaro Ramos
  2. "A mulher dos pés descalços" (Nós), de Scholastique Mukasonga
  3. "Com o mar por meio" (Companhia das Letras), de José Saramago e Jorge Amado
  4. "Lima Barreto: Triste visionário" (Companhia das Letras), de Lilia Schwarcz
  5. "Nossa senhora do Nilo" (Nós), de Scholastique Mukasonga
  6. "Diário do hospício e o cemitério dos vivos" (Companhia das Letras), de Lima Barreto
  7. "Esse cabelo" (LeYa), de Djaimilia Pereira de Almeida
  8. "Insubmissas lágrimas de mulheres" (Malê), de Conceição Evaristo
  9. "Para educar crianças feministas - Um manifesto" (Companhia das Letras), de Chimamanda Ngozi Adichie
  10. "O vendido" (Todavida), de Paul Beatty

 

Comentários

Comentários