Revista Raça

Capa

Netflix celebra atores e criadores negros com foto emblemática no Harlem

  • Autor: hamalli

  • Publicado em: 26/06/2018

  • Comentários:

Em um dos intervalos comerciais do BET Awards, no último domingo (24), a Netflix apresentou um foto e um comercial com 47 criadores e atores negros da plataforma de streaming. Spike Lee (Malcolm X), Ava DuVernay (Selma), Lena Waithe (Master of None) e Mike Colter (Luke Cage) são só alguns dos que estão na foto.

Caleb McLaughlin, o Lucas Sinclair de Stranger Things, narra o comercial que passa uma mensagem poderosa sobre o movimento:

Este é um novo dia, construído do chão destruído das nossas lendas. Um dia para nossa geração ver experiências incalculáveis da nossa negritude representando uma gama ilimitada de identidades. Interpretando reis e rainhas de nossos bairros, derrotando forças maiores do que a vida, tentando virar o nosso mundo de cabeça para baixo. Nós nos levantamos em qualquer palco e em todas as telas. Um dia em que as mulheres negras são corajosamente as protagonista, sejam como detentas ou acadêmicas. Nós não somos um gênero porque não há só um jeito de ser negro. Estamos escrevendo enquanto negros, cheios de nuances e complexos; resilientes e fortes. Este não é um momento. Isso é um movimento. Somos fortes protagonistas negros. Hoje é um ótimo dia em Hollywood.

O vídeo faz parte da campanha “Strong Black Lead“, que busca, nas palavras de sua organizadora, Maya Watson Banks ao LA Times, “representar um foco bastante intencional da Netflix em conversar de forma autêntica com as audiências negras”.

Strong Black Lead é relacionável e real, sempre sem pedir desculpas por ser preto. E assumimos que nosso contexto e conhecimento não será diluído novamente.

O selo produz títulos criados e com a participação de negros, além de indicar obras com este contexto nas mídias sociais (@StrongBlackLead).

De onde vem a foto?

Talvez você já tenha visto essa foto abaixo. É uma imagem muito conhecida e poderosa da edição de janeiro de 1959 da revista Esquire. Em preto e branco e intitulada de “A Great Day in Harlem” (daí o nome “A Great Day in Hollywood”), a foto reuniu os 57 maiores músicos de Jazz da época. Count Basie, Thelonious Monk, Mary Lou Williams e Sonny Rollins são só alguns dos grandes artistas na foto.

É um retrato icônico e muito importante para a cultura negra. O gênero musical do Jazz surgiu no século 19, nas comunidades negras de Nova Orleães, nos Estados Unidos. A região no extremo sul da Louisiana foi um ponto de grandes desembarcações de escravos, que usavam instrumentos de percussão e sopro (os que eram permitidos a eles) para se comunicar através de mensagens codificadas, combinando revoltas. O ritmo harmônico reuniu os instrumentos de sopro a cantores vindos da igreja, com muita influencia de hinos de blues. Por essas e tantas outras, o Jazz se tornou um gênero particularmente representado por negros.

A foto icônica do Art Kane se tornou um objeto de estudo do Jazz, até porque nunca foi fácil colocar tanta gente famosa (e talentosa) junta para tirar uma foto. Além dos 57 músicos na foto, podemos ver algumas crianças sentadas na calçada. Essas crianças eram moradoras do Harlem, bairro nova-iorquino majoritariamente negro onde o clique aconteceu. Elas simplesmente chegaram para posar e o fotografo não pode fazer nada além de capturar o momento com elas lá.

O poder da foto na época da luta por direitos civis nos EUA foi tamanho que um documentário com o mesmo nome foi produzido. E até foi indicado ao Oscar!

Em um momento espontâneo na gravação do vídeo da Netflix, os criadores e atores começaram a cantar Lift Every Voice and Sing — música originalmente apresentada como poema no aniversário de Abraham Lincoln, que foi apelidada como um hino afro-americano. “Levantem suas vozes até que o céu e a Terra vibrem”, cantam eles. Veja:

Também tiveram momentos de descontração no set e muitos atores postaram fotos com seus novos e velhos amigos da indústria cinematográfica.

 

Comentários

Comentários