Onde estão as cineastas negras?

Redaçãomaio 2, 20204 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Ava-DuVernay-Selma-mulher-negra-cinea.jpg

Embora no início deste ano, um balanço das produções cinematográficas de 2019 revelasse que as mulheres representavam quase 11% dos diretores dos 100 melhores filmes lançados, observa-se que, neste universo, não estão incluídas as mulheres negras. Mas sabemos que elas existem e estão por aí, produzindo arte!

De acordo com um estudo de raça e gênero baseado em 240 longas-metragens nacionais com maior bilheteria de 1995 a 2010, ressaltando os dez principais de cada ano, nenhuma mulher preta ou parda atuou como diretora ou roteirista nesses filmes. O relatório, feito por pesquisadores do Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa (Gemaa), indica que elas constituíram apenas 4% dos elencos.

Entre homens negros, a média porcentual também foi baixa, correspondendo a 13% dos personagens e só a 5% dos cargos de direção e roteiro nos 24 anos. As mulheres brancas assumiram 21% dos postos de diretoria, 34% dos roteiros e 34% dos elencos. Já no caso dos homens brancos, 84% diretores, 71% roteiristas e 49% dos papéis em cena.

O levantamento revela ainda que o número de afrodescendentes nos cargos não foi maior ou igual ao de brancos em nenhum dos anos e as porcentagens sempre foram quase as mesmas: homens brancos ocupando os 75% dos postos de liderança, enquanto negros e negras com porcentuais próximos do zero.

Vale destacar que, nas políticas de inclusão, o teto de financiamento de projetos culturais caiu de R$ 60 milhões para R$ 10 milhões, de abril do ano passado a dezembro. Além disso, uma série de exonerações, ofensas à classe artística e nomeações polêmicas começou a desenhar as idas e vindas da pasta de cultura do atual governo federal

Vale destacar que, por aqui, o audiovisual negro contou com o grandioso papel ddo saudoso cineasta e ator Zózimo Bulbul, falecido em 2013. Ele foi um dos grandes precursores dos avanços vividos pelo cinema negro nos últimos anos.

Zózimo Bulbul foi o idealizador do Centro Afrocarioca de Cinema – um espaço de formação, produção e difusão do audiovisual negro – e, do Encontro de Cinema Negro Brasil, África e Caribe, importantíssima janela que exibe diversas produções realizadas por cineastas negros.

Comentários

Comentários

Redação

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários