“Quem é de axé não morre, vira vento”

Redaçãoagosto 8, 20202 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/08/20200808_135151.jpg

O país perdeu um dos maiores expoentes da arte. A atriz Chica Xavier, de 88 anos, morreu às 04h20 deste sábado (08), em decorrência de um câncer no pulmão.

Com papéis memoráveis na TV em novelas como Sinhá Moça e Renascer, ela estava internada no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Símbolo da representatividade da arte negra no país, ao lado de nomes como Ruth de Souza, Francisca Xavier Queiroz de Jesus era natural de Salvador e firmou seu nome também no teatro e no cinema.

Em seu currículo, constam 26 novelas na TV Globo, além de 11 minisséries e 10 programas especiais. Chica emprestou seu talento ainda para produções no Canal Futura e nas TVs Bandeirantes, Manchete e Educativa. Na sétima arte, fez 11 filmes.

Desde 1956 ela era casada com o ator Clementino Kelé. Netos do casal, o jornalista Ernesto Xavier e a atriz Luana Xavier, eram companhia constante deles.

A última participação de Chica na TV foi em 2012, na novela Cheias de Charme, como a Cleonice.

Em Sepetiba, na Zona Oeste do Rio de JAneiro, onde morava, Chica fundou o terreiro Irmandade do Cercado do Boiadeiro.

Comentários

Comentários

Redação

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários