Quem sabe faz a hora

Foto: Lukas Alencar

Na pele do mecânico Tião, na novela “Éramos Seis”, exibida na Globo na faixa das 18h, Izak Dahora vive o melhor amigo do protagonista, Alfredo (Nicolas Prattes) e o acompanha na luta política, destacando a opressão e a desigualdade da época.

 

Tião representa o homem do povo, trabalhador, que apresenta o mundo do trabalho a Alfredo. Nisso é descortinada toda uma realidade de opressão, desigualdades e luta pela transformação da sociedade paulista e brasileira. A década de 1930 nos ajuda a entender muito bem a dinâmica da sociedade e da política brasileira”, comenta Izak.

 

Autor do livro Arte Total Brasileira: A Teatralidade do Maior Show da Terra (ed. Cândido), o ator de 31 anos nascido em São Gonçalo, estreou na TV em 1998, mas ganhou notoriedade nacional ao dar vida a Saci no “Sítio do Picapau Amarelo” de 2001 a 2006.

 

Mestre em Artes (UERJ) e graduado em Artes Cênicas (UNIRIO), Izak Dahora é professor no curso de licenciatura em Teatro na Universidade Estácio de Sá. Em seu currículo constam ainda diversas peças e filmes.

Comentários

Comentários

About Author /

Start typing and press Enter to search