Matriarcas do movimento negro de Belo horizonte foram homenageadas

 

Texto: Redação | Foto: Divulgação | Adaptação web Sara Loup

Matriarcas sendo homenageadas | Foto: Divulgação

Matriarcas sendo homenageadas | Foto: Divulgação

Ao som do poema de Alzira Rufino, a Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial (CPIR), de Belo Horizonte, celebrou o lançamento da Campanha de Valorização da Mulher Negra, no auditório da prefeitura da cidade.

A Campanha está inserida nos objetivos do plano municipal para a promoção de Igualdade Racial, composta pelos seguintes eixos: saúde, educação, cultura afro-brasileira, políticas urbanas, recursos humanos regionais, institucionalização da política da promoção da igualdade racial e desenvolvimento da política. Na ocasião, foram homenageadas 13 matriarcas do movimento negro da capital mineira, mulheres que tomaram para si a tarefa de lutar em prol da democracia entre as raças.

“Estas mulheres nos ensinaram e nos ensinam muitas lições, seja na escola formal ou na que não é formal. Foram elas que começaram essa luta”, disse Denise Pacheco, coordenadora da CPIR. Valdete Cordeiro, uma das militantes homenageadas, considerou muito importante esse reconhecimento “Essa homenagem me dá mais força para continuar trabalhando, por que essa cor aqui não desbota de jeito nenhum.”

 

Quer ver esta e outras colunas e matérias da revista? Compre esta edição número 159

Comentários

Comentários