Saiba mais sobre o livro "Kalunga" que conta a história de uma comunidade quilombola

 

TEXTO: Denise Pires | FOTO: Divulgação | Adaptação web: David Pereira

O livro "Kalunga" conta a história de uma comunidade quilombola | FOTO: Divulgação

O livro "Kalunga" conta a história de uma comunidade quilombola | FOTO: Divulgação

 

Custódia Wolney é uma apaixonada pelas nossas histórias, escritas e orais. Seu segundo romance chama-se Kalunga, lançado originalmente em 2005 (edição de autor) e que ganhou uma nova edição pela Ícone Editora.

O livro recupera a história da comunidade de Kalunga, situada no norte do estado de Goiás, entre as cidades de Teresinha, Cavalcante e Monte Alegre. A comunidade quilombola permaneceu quase isolada até o início dos anos 1980, quando passou a ser pesquisada pela antropóloga Mary Baocchi, que estudou suas histórias, seus costumes esuas tradições. “Nos meus romances procuro divulgar a história e a cultura do nosso povo. No livro Kalunga meu objetivo é divulgar a cultura dos remanescentes dos quilombos no Brasil, ao mostrar o que era essa comunidade nos tempos da escravidão, nos anos de isolamento e como foram os primeiros contatos com a civilização. Toda essa história é contada pela personagem Bernadete, ou Berta, que rememora seus antepassados quilombolas e relata sua vida. Ela vai viver longe de sua comunidade e tem que enfrentar todo tipo de preconceito e as consequências de se afastar de suas raízes”, esclarece a autora.

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 165.

Comentários

Comentários