O racismo nos estádios é o fio condutor da série documental O negro no futebol brasileiro, que contará com entrevista de antigos ídolos do Santos Futebol Clube, gravadas na última sexta (20), no Museu Pelé.

O audiovisual está a cargo da produtora LC Barreto, com mais de 50 anos no mercado e a responsável pelos filmes Dona Flor e Seus Dois Maridos, O Que é Isso Companheiro, Crô – O Filme e, recentemente, João – O Maestro, além da série de TV Seleção Brasileira – Paixão de um povo, veiculada pela HBO. Os fundadores da produtora, Lucy e Luiz Carlos Barreto integram o grupo de pioneiros do cinema brasileiro.

Sob a direção de Gustavo Acioli, o ex-centroavante Coutinho, do Santos Futebol Clube, considerado um dos maiores em sua posição na história do futebol, falou de sua vivência em campo e de como reagia em situações de racismo. “Se xingavam, eu xingava també

Pelé na final da Copa do Mundo 1970

m”, comentou, bem-humorado. Também deu depoimento o ex-atacante Serginho Chulapa, maior artilheiro da história do São Paulo FC (1973 e 1982) e autor de 104 gols com a camisa do Santos FC. (1983–1984, 1986, 1988 e 1989–1990).

O filme também terá a visão do ex-volante Clodoaldo, que marcou época no Santos nos anos 1960 e 1970, e Daniel Alves, hoje defendendo o Paris Saint-Germain e já entrevistado na Europa. “O documentário é baseado no livro homônimo de Mário Filho, mas vamos ampliar o conteúdo até as eras Pelé e pós-Pelé”, adiantou Acioli, um apaixonado por futebol, história e sociologia.

Ele também foi pesquisador e roteirista do documentário Seleção Brasileira – Paixão de Um Povo e diretor do longa Mulheres no Poder.

Sinopse

Com quatro episódios de uma hora cada, o documentário O negro no futebol Brasileiro contará a saga dos negros brasileiros que enfrentaram várias adversidades para serem aceitos no futebol, passando por sua afirmação nos campos e culminando com a sua consagração, simbolizada, principalmente, por Pelé.

A nova geração também estará representada com nomes como Neymar, Willian e Daniel Alves, que vieram depois do Pelé e, justamente por isso, enfrentaram um nível altíssimo de exigência por parte da torcida e da imprensa. A série falará também dos jogadores negros no futebol globalizado, refletindo sobre as manifestações de racismo recorrentes nos estádios europeus.

Comentários

Comentários