Os grafiteiros do Grupo OPNI participaram na criação de grafites no Museu Aberto de Arte Urbana. Saiba mais sobre o local

 

TEXTO: Redação | FOTO: Acervo OPNI | Adaptação web: David Pereira

Um dos grafites do Grupo OPNI no Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU) | FOTO: Acervo OPNI

Um dos grafites do Grupo OPNI no Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU) | FOTO: Acervo OPNI

Assim como o grupo OPNI desenvolve uma galeria a céu aberto em São Mateus, em São Paulo, Chivtz e Binho Ribeiro criaram projeto semelhante na zona norte da capital paulista, após serem presos, junto com outros artistas, pintando pilastras em uma importante avenida da cidade. Aos poucos, o movimento ganha força em toda a metrópole e com o empenho de todos, estamos criando o Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU). O OPNI foi um dos grupos convidados por Chivtz e Binho.

"Ficamos felizes com o convite, pois o projeto vai ao encontro do que muitas vezes fazemos, ou seja, nos ‘apropriamos do desapropriado’. Já passou da hora do graffiti ter o respeito que merece e esse tipo de ação ajuda a reforçar isso”, dizem os membros do grupo OPNI.
Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 160.

 

Comentários

Comentários