750_201734145059930

Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) solicitou na sexta-feira, 3, apoio à Secretaria da Segurança Pública (SSP) para apuração sobre a postagem de um vídeo no Youtube,  no último dia 24, intitulado Criaturas estranhas no Carnaval 2017, cujo teor reúne abordagens de racismo e ódio religioso.

O material foi publicado pelo canal de codinome Trump TV, utilizando imagens da transmissão da TVE, emissora do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb), com ofensas a artistas, blocos, apresentadoras e personalidades negras.

Durante o vídeo, com duração de seis minutos, uma voz distorcida é utilizada nas narrações, que classificam as personalidades como “demônios reais, disfarçados de sambistas”.

As imagens dos cantores Aloísio Menezes, Gal do Beco, do presidente do Olodum, João Jorge, além da apresentadora Vânia Dias e diversos foliões são utilizadas repetidas vezes.

Ofício

Em ofício encaminhado na última sexta-feira ao secretário da SSP, Maurício Barbosa, a titular da Sepromi, Fabya Reis, solicitou apoio na investigação sobre os responsáveis pela prática.

“Informamos que seguiremos firmem no cumprimento da sua missão institucional de defesa da população negra baiana”, explicou a secretária.

Comentários

Comentários