Veja o que o estudioso Carlos Moore fala sobre o cantor e ativista Fela Kuti

 

TEXTO: Carlos Moore | FOTO: Maurício Pestana | Adaptação web: David Pereira

O estudioso e biógrafo de Fela Kuti, Carlos Moore | FOTO: Maurício Pestana

O estudioso e biógrafo de Fela Kuti, Carlos Moore | FOTO: Maurício Pestana

"A crescente importância da celebração do FELA DAY pelo mundo, a cada 15 de outubro, me parece ser um indício de que, além da morte, a mensagem libertária e anti-imperialista de Fela Kuti se espalha cada vez mais, inspirando as novas gerações em todos os continentes. Na medida em que o papel principal do artista e do intelectual é o de alertar a sociedade para os perigos que a ameaçam, e para as tensões que a dividem, o auge no Brasil da música de Fela é um fenômeno politicamente importante, culturalmente salutar e artisticamente rico. Fela dedicou sua vida toda à luta em favor daqueles que Frantz Fanon chamou de "Condenados da Terra". Ele denunciou o absurdo grotesco das iniquidades sociais em todos os países. Fela foi, inclusive, o primeiro a identificar, de maneira clara, a emergência de um novo monstro planetário, sem fronteiras físicas, éticas ou morais: a globalização capitalista. Ele chamou o novo sistema de "Ladrões Internacionais" (International Thief Thief) e de "Monstros sem Nação" (Beasts Without Nation). Assim, é significativo e importante que, no Brasil, país que parece destinado a se constituir em potência internacional neste século XXI, a mensagem "felakutista" esteja se propagando no momento com tanta força. Talvez esse seja um antídoto eficaz que contribua para impedir que o Brasil, no seu crescimento como potência, enverede pelos caminhos equivocados e nefastos que os Estados Unidos tomaram no século XIX. Acho que a música AfroBeat e a mensagem política libertária do Fela Kuti podem ajudar os brasileiros a contemplar e lutar por um mundo mais justo, mais democrático e mais solidário - dentro e fora das fronteiras do Brasil.” (Carlos Moore)

*Carlos Moore, estudioso cubano e biógrafo autorizado de FELA KUTI

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 150.

Comentários

Comentários