Revista Raça

Capa

Comercial natalino da Perdigão é acusado de racismo na web; veja o vídeo.

  • Autor: redação redação

  • Publicado em: 29/11/2018

  • Comentários:

A empresa alimentícia Perdigão lançou na segunda-feira (26) um comercial para divulgar um de seus produtos natalinos e sofreu forte reação negativa na web.  A campanha mostra uma família negra agradecendo o presente que recebeu deagradecendo o presente que recebeu de um clã predominantemente branco. No Twitter, um dos internautas classificou a peça publicitária como "poço de racismo". A companhia lamentou a repercussão. "Nunca foi essa a nossa intenção" diisse em nota.

O comercial de 30 segundos começa com uma negra falando sobre a importância da data. "Quando a nossa família ganhou um Chester Perdigão, o presente não foi só uma ceia bonita, foi também o sentimento de ter um Natal especial, daqueles que a gente só imaginava. Agora essa sensação é real, graças a você", diz.

Na sequência, aparece uma família predominantemente branca com o patriarca dando explicações para uma criança. "Comprando um, a Perdigão doa outro para uma família que precisa", explica. O ator resposável por falar essa parte do texto é Ricardo Corte Leal, que já trabalhou em emissoras como Band e Record.

"A campanha de Natal da Perdigão é um poço de racismo, de representação do branco bondoso e do negro feliz pela caridade. Surreal", reclamou uma usuária da rede social. "Perdigão faz comercial no qual família branca rica compra chhester e doa para família preta pobre. Encontre o erro", escreveu outra.

Em comunicado enviado ao Notícias da TV, a assessoria de imprensa da BRF Brasil, que controla a marca Perdigão, se defendeu das acusações de racismo.

"A Perdigão lamenta que a campanha publicitária de Natal tenha ofendido qualquer um de nossos consumidores. Nunca foi essa a nossa intenção. Falar de generosidade é, para nós, uma forma de união e agradecimento a todos os nossos consumidores, que há três anos colaboram para o Natal de mais de 6 milhões de pessoas, independentemente de cor, gênero, raça ou religião. É nisso que acreditamos", afirmou a companhia.

As reações ao vídeo no YouTube são, em sua maioria, negativas. A campanha teve 2.600 "não gostei" e 1.100 "gostei" até o momento da publicação deste texto. Nos comentários, as críticas continuam.

"E a família branca novamente salva o Natal da pobre família negra que não pode comprar um chester? E não venham com aquele papo de 'coincidência' ou 'nós não enxergamos cor' porque, se fosse assim, teríamos mais famílias negras retratadas ajudando pobres famílias brancas por aí. Mas é isso, Brasil: país onde 98% da  população não se acha racista, 99% conhece alguém racista e dessa forma todo mundo tem permissão pra continuar sendo", reclamou uma usuária da rede social.

"É sério isso? Quem é a pessoa que autoriza essas campanhas? Vocês, realmente, não viram nenhum problema em estereotipar uma familia preta que só pode comer chester porque uma família branca deu? Não dá pra passar pano pra racismo.

Alguns internautas, porém, saíram em defesa da peça publicitária: "Tem negro e branco em ambas as famílias, empoderados manchando uma causa importante só pra poder reclamar na internet".

Fonte:  Noticias das tv

Comentários

Comentários