Conheça um pouco da história do ator João Acaiabe

 

Texto: Oswaldo Faustino | Foto: Shutterstock | Adaptação web Sara Loup

História do ator João Acaiabe | Foto: Divulgação

História do ator João Acaiabe | Foto: Divulgação

Um dos poucos ex-alunos negros da Escola de Arte Dramática de São Paulo (EAD), está completando 40 anos de teatro. Trata-se do ator e contador de histórias João Acaiabe, que ingressou na instituição em 1967 (quando ela funcionava no prédio da Pinacoteca do Estado), onde se formou em 1970. “Foi o Antonio Abujamra quem me convenceu a me tornar um contador de histórias, como a tradição dos griots africanos, e me contratou para participar do Bambalalão, na TV Cultura, na década de 80”, recorda-se João.

Nascido em Espírito Santo do Pinhal, no interior paulista, Acaiabe participou de 15 novelas na TV. A mais recente foi Uma Rosa com Amor, exibida pelo SBT, onde interpretou o personagem Pimpinoni. De 2001 a 2006, viveu o Tio Barnabé, um também contador de histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo. Entre muitos outros trabalhos no teatro, interpretou o polêmico Cristo Negro, em Jesus Homem, de Plínio Marcos.

No cinema, já conta com mais de duas dezenas de trabalhos. Sua interpretação do personagem título do curta-metragem O Dia em que Dorival Encarou a Guarda, de Jorge Furtado, lhe rendeu o Kikito de melhor ator, no Festival de Gramado de 1986. João interpreta também um pastor no premiado Bróder, de Jeferson De, que estréia no início de 2011.

Mais dois filmes em que João atuou estão em finalização: Aos Ventos que Virão, de Hermano Penna, e Bom Dia, Eternidade, de Rogério Moura, em que vive o protagonista. Esse último tem fotografia de Mário Carneiro (recentemente falecido) e traz no elenco Renato Consorte, Antonio Pitanga, o humorista Zé Vasconcelos e o ator Edu Acaibe, sobrinho de João, que faz seu personagem quando jovem. E para comemorar seus 40 anos de palco, João Acaiabe quer interpretar Nelson Mandela, num espetáculo escrito exclusivamente para ele. O autor? Qualquer hora dessas, eu conto aqui...

 

Quer ver esta e outras colunas e matérias da revista? Compre esta edição número 151

Comentários

Comentários