Coronavírus: Letalidade entre negros é maior

Redaçãoabril 11, 20201 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/04/arton34537-b1232.jpg

Na sexta-feira (10), o Ministério da Saúde revelou novos dados sobre o coronavírus. Embora vitime mais brancos, o vírus é mais letal entre pretos e pardos. Os dados apontam que 1 em cada 4 hospitalizados por covid-19 – equivalentes a 23,1% dos hospitalizados com Síndrome Respiratória Aguda Grave são pretos e pardos, mas eles chegam a representar 32,8% das vítimas de Covid-19. Já com os brancos, a situação é oposta e o número de mortos é menor que o de hospitalizados. Eles representam 73,9% dos hospitalizados e 64,5% das vítimas.

Para chegar a esses índices, foram investigadas 849 mortes das 1056 contabilizadas. De acordo com os dados, 64,5% das vítimas do novo vírus no país se declarou como branca, 32,8% como parda ou preta, 2,5% como amarela e 0,2% como indígena.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 67% dos brasileiros que dependem exclusivamente do SUS (Sistema Único de Saúde) são negros, e estes também são maioria dos pacientes com diabetes, tuberculose, hipertensão e doenças renais crônicas no país —todos considerados agravantes para o desenvolvimento de quadros mais gravosos da covid-19.

A diferença de quase dez pontos percentuais entre negros hospitalizados e negros mortos pela covid-19 chama atenção das autoridades médicas.

“Se as chances de morte pela doença não dependem de raça ou cor, tem algo errado, uma outra influência neste resultado, seja o tipo de tratamento oferecido, seja alguma outra comorbidade que as pessoas negras tenham”, aponta Denize Ornelas, diretora da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade.

Desde a primeira morte no Brasil, a maioria das vítimas da Covid-19 no Brasil é composta por homens: 58,2%. Além disso, é possível observar que as mortes, em sua maioria, ocorrem com pessoas com mais de 60 anos.

No entanto, o Brasil também já registrou óbitos de pessoas mais jovens e até crianças. Há um na faixa etária de 0 a 5 anos, três de 6 a 19 anos e nove de 20 a 29 anos.

A obesidade e a asma são as comorbidades mais presente no grupo das vítimas abaixo dos 60 anos. Já a diabetes, a cardiopatia e a pnemoupatia são as doenças crônicas que mais acometem os idosos, vítimas da Covid-19.

 

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários