Revista Raça

Colunistas

Foco, força e fé

  • Autor: Redator

  • Publicado em: 16/10/2016

  • Comentários:

Fábio Rogério aborda o foco, a força e a fé em sua coluna

 

TEXTO: Fábio Rogério* | FOTO: Cláudio Lira | Adaptação web: David Pereira

Fábio Rogério aborda o foco, a força e a fé em sua coluna | FOTO: Cláudio Lira
Fábio Rogério aborda o foco, a força e a fé em sua coluna | FOTO: Cláudio Lira

Força

Ao nascer recebemos luz; porém, infelizmente, com o passar do tempo, nem todas as pessoas se mantém com ela. O tempo existe, mas, para as coisas acontecerem, a energia precisa fluir. Diariamente temos de graça praticamente doze horas de luz e nem sempre a usamos.

Foco

O asfalto continua sendo inspiração de muitas pessoas que fazem a cultura Hip Hop existir. Pelo menos pra mim, que no fim dos anos 80 vi o Rap brasileiro nascer no rádio tal qual uma criança. Algumas pessoas o utilizam para dançar, grafitar e tocar, outras para fala. E desde quando Rap é Rap existem opiniões. Como pensadores, às vezes eu e meu amigo de trabalho - Dj Celio Promo Only - concluímos que no passado criticavam o rapper Ndee Naldinho por fazer um som mais dançante , rotulavam Thaíde & Dj Hum como radicais e falavam de Racionais Mcs intitulando-os como “Racistas”. Opiniões a parte, o bom mesmo é não ter só sua família como seu fã clube. Atualmente bons exemplos de empreendedorismo, como Emicida, também são alvos de comentários que tendem à desunião na cultura Hip Hop. Foco, força e fé! - como diz Projota - é o caminho, até porque viver não é pra amadores, viver sempre foi para profissionais!

Falta de foco foi o que fez algumas empresas do segmento não estarem com mais de um milhão de seguidores, como os rappers acima, nas redes sociais. O Rap que, ao contrário de outros segmentos, é uma cultura internacional- como diz Milton Sales. Quem viu o rapper Pepeu cantando com as calçasgrafitadas nos shows e hoje vivencia o amadurecimento do mercado de confecção no Hip Hop, mesmo sabendo que alguns abandonaram o barco devido ao imediatismo capitalista, só pode estar feliz com a organização, por exemplo, de um Emicida que, com seus bonés “a rua é noiz” espalhadospelas ruas, faz o mesmo equacionar. Pesquise Chocolate da Bahia com a canção Roda de Samba e ouvirá “Mãe, vou aproveitar a deixa ...” Fato! Com as deixas, o crescimento vem pra quem tem visão holística, do todo. Não importa qual seu segmento, ter visão do todo e ter consciência do que difere marca de produto é fundamental, e só um bom consultor dará a visão.

Com ancestralidade africana, Francisca de Paula de Jesus - Nhá Chica - foi beatificada em Baependi Sul de Minas Gerais. O Vaticano reconheceu o milagre que curou do coração uma professora. Conheça a cidade de 18 mil habitantes, terra de fé e de lindas paisagens. O nome vem do tupi e significa “água da coisa achatada”, ou ainda pode ter vindo do termo, também tupi, mbaé-pindi, que significa “a clareira aberta”. De qualquermodo, podemos acreditar que é nas águas do tempo que marcamos o foco e a fé e encontramos nosso caminho. Por tudo isso, é preciso nos mantermos atentos, fortes e unidos. Salve a todos na paz de Deus...!

*Fábio Rogério é Dj e locutor

Quer ver essa e outras colunas da revista? Compre este edição número 179.

Comentários

Comentários