Juventude negra e sucesso

Ser jovem e se olhar no espelho e entender que você não é “bonitinha” e sim uma rainha sempre foi bem difícil, mas MC Soffia ajudou a tornar isso muito mais fácil e comum na vida de milhares de meninas negras que não tinham uma representação na mídia, em canções e na vida! 
Paulista de apenas 17 anos, MC Soffia é mundialmente conhecida pelas letras que falam sobre distorções sociais graves, como preconceito, racismo, machismo e que incentivam e evidenciam a beleza da mulher negra. Sua carreira começou quando a cantora tinha apenas 6 anos de idade. Nascida e criada em família de militantes, Soffia dá show de talento e representatividade.

Ao seu lado, a Raça traz outro sucesso da juventude. Heron (ou como é conhecido, Dj Heron Love) faz sucesso desde seus 20 anos, sempre presente nos principais eventos do país. Foi convidado a tocar ao lado de alguns grandes artistas internacionais como SouljaBoy, Lil’ Jon, Ja Rule, Ching, Lmfao, Will. I.am, dentre outros.Héron Love hoje é consideradoum dos melhores djs do país e do mundo e um dos mais procurados e requisitados pelo público. Já participou de grandes festas em países como Argentina, Paraguai, Estados Unidos (Miami e Los Angeles), e em praticamente todos os estados do Brasil.

Se a juventude tem este poder de trazer a esperança de dias melhores, trazemos nesta edição estas novas promessas de um novo tempo. Você conhece um pouco mais sobre eles aqui com a Raça.

Hamalli – Você começou sua carreira artística muito jovem. Como foi isso para você?
Mc Soffia – Começar minha carreira artística muito jovem foi um sonho realizado e que eu ainda estou realizando, eu pretendo alcançar muitos lugares. Meu sonho sempre foi ser cantora, mas não só cantar, mas sim atuar, dançar, ser uma representante, e fazer muitas outras coisas no mundo da música, porque as pessoas que escutam as músicas elas também escutam as letras, existem músicas só para dançar, mas também há as letras. 

Eu sempre trouxe o público jovem para os meusclipes, porque eu sentia muita falta, assim como a falta de pessoas pretas, coisas que eu queria ver nos videoclipes. Então, por eu ter começado muito jovem foi o que me fez trazer mais a minha realidade, as minhas visões que eu tinha do mundo e o que eu queria passar para os públicos de todas as idades. 

Hamalli – Ainda nessa linha, muita gente coloca a sua imagem como representante de uma geração. Como é para você essa responsabilidade?
Mc Soffia – Então, não é uma responsabilidade, é algo que todos devemos ter é que temos que representar nossas nações. Por exemplo, vamos supor que eu tenho uma amiga preta que não está se aceitando e eu já me aceito, eu posso falar: “seu cabelo é lindo, você é linda”, posso fazer com que as escolas comecem a falar da pauta de empoderamento. Achoque todos os jovens e adultos têm o direito de estar representando a nação, de mudar e melhorar o mundo em questão de respeito, de amor ao próximo e de outras pautas sociais como LGBTQI+, a pauta das mulheres, das pessoas pretas, entre outras. E nós devemos respeitar e representar a nossa luta, cada pessoa vai lutar do seu jeito. Para mim não é uma responsabilidade, é algo que está em mim desde criança. Sempre fui em marchas, minha família sempre me mostrou como eu deveria falar, o que eu deveria passar para o próximo – mesmo que se eu não fosse artista – então para mim é natural. 

Sempre falei sobre isso na escola e depois que eu entrei na música, consegui fazer com que essas questões atingissem mais pessoas. 

Continue lendo

Comentários

Comentários

About Author /

Start typing and press Enter to search