Mais uma ação foi protocolada por práticas racistas do presidente

Integrantes do Ministério Público Federal (MPF), Ministério Público do Trabalho (MPT), dos Ministérios Públicos estaduais e Defensoria Pública da União (DPU) assinaram nesta quarta-feira, 14, uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro pela prática de racismo.

Encaminhado ao procurador-geral da República, Augusto Aras, o documento solicita que a PGR “determine a imediata apuração de responsabilidade criminal e política” de Bolsonaro.

A representação foi motivada por uma fala do presidente no último dia 8 de julho, na qual comparou o cabelo de um homem negro a um “criatório de baratas”, sugerindo falta de higiene. Os autores da representação afirmam que não foi somente uma “piada infeliz e de péssimo gosto” e que a fala está inserida em um contexto de prática contínua de declarações racistas, com condenações na esfera cível.

Comentários

Comentários

About Author /

Start typing and press Enter to search