“Na Favela não se espera oportunidades, nós a criamos”

Redaçãomaio 21, 20206 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Perfil-Raça-215.jpeg

Foi-se o tempo em que as favelas e suas histórias eram relatadas somente por cientistas sociais, sociólogos e antropólogos, de lá pra cá, as diferentes vozes dos talentosos moradores de periferias das grandes cidades têm se amplificado cada vez mais em primeira pessoa, como no novo livro A Favela Venceu (Buzz Editora) do escritor, palestrante e empreendedor Rick Chester – que ilumina com criatividade e inteligência os tempos de crise como o que Brasil hoje atravessa.

Com a mesma legitimidade de lugar de fala de Carolina de Jesus, autora do célebre Quarto de despejo (lançado em 1960), a voz potente de Rick Chester faz ecoar a realidade social injusta dos moradores das favelas. A diferença está na imensa capacidade de comunicação de Rich Cherster que, aliado às novas tecnologias, cria um sistema próprio capaz de inspirar milhões de pessoas a terem autonomia necessária para recriar a sua realidade, para além da realidade social injusta e de todas as dificuldades existentes, tornando-o também um marco no que hoje se convencionou chamar de cultura periférica.

O nosso famoso “homem da água” – como ficou conhecido no Brasil, ao postar um vídeo caseiro de apenas 1 minuto, num canal do Youtube, em que ele fala de modo sucinto e objetivo o que é necessário para empreender com R﹩ 10,00 emprestados e criar um lucro de 750% – se tornou uma espécie de guru do empreendedorismo e tem aprofundado suas reflexões, sobretudo, a respeito da valorização da cultura das quebradas, demonstrando sensibilidade para criar de forma pioneira um novo conhecimento, “adquirido com muita luta e superação na faculdade da vida”, como gosta de afirmar.

A partir de seu encontro com empresário Flávio Augusto, ao lançar seu primeiro livro, Pega a visão (Buzz Editora, 2018), Rick Chesther mudou sua vida e tem transformado a vida de milhares de pessoas. Garoto propaganda do banco Santander e escritor convidado para palestrar na Universidade de Harvard e em outros países, como Japão e França, Rick emociona o leitor em seu A favela venceu ao fazer uma reflexão crítica e prática da realidade, traçando uma trajetória que atravessa fronteiras e obstáculos inimagináveis no ambiente complexo das comunidades: a favela empreendedora, a favela cultural, a favela religiosa, a favela multi racial, a favela livre, a favela cartão postal e tantas outras.

Para o escritor, a favela não só venceu o preconceito e a tragédia como dá aula do que é ser empreendedor, do que é fazer um corre de verdade quando não tem nenhum vento soprando a favor, mantendo a firme a fé. A única condição para adentrar na aventura apresentada por Rick Chesther é: “Se desmontar de qualquer preconceito que tiver e escuta esse neguinho que tá te dizendo, com muita atenção: todos nós temos muito a aprender na favela”.

A Favela Venceu é um tratado sobre a resistência que expõe suas raízes em bases como a família, a solidariedade, a consciência social e racial, o combate às desigualdades e, principalmente, o amor incondicional. Um dos livros mais relevantes de uma geração que busca empreender com uma verdadeira transformação social.

Comentários

Comentários

Redação

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários