Veja como é comemorado o Ano novo dos Swazis

 

Texto: Sônia Nascimneto | Foto: Shutterstock| Adaptação web Sara Loup

O ano novo dos Swazis | Foto: Shutterstock

O ano novo dos Swazis | Foto: Shutterstock

 

Os Swazis habitam a divisa da África do Sul com a Suazilândia, um dos menores países do continente africano, a oeste de Moçambique e mantêm viva até hoje, após milênios de proibição, a fala do idioma Swati.

A Suazilândia é um país independente e, embora as cidades pareçam modernas, a vida rural predomina e gira em torno da criação de gado, mantendo um sistema patriarcal de chefes e anciãos nas aldeias. A monarquia detém o poder absoluto. Quem dita as regras é o rei Mswati III.  Ele foi educado na Sherbourne School, na Inglaterra, e controla diretamente a economia e o governo, mas faz questão de manter as tradições que outras nações africanas abandonaram.

Todos os anos, a população jura lealdade ao rei em uma cerimônia chamada Ncwala, que dura cerca de quatro dias e seleciona possíveis jovens para, futuramente, serem eleitos. No terceiro dia, um touro é libertado, e esses jovens devem capturar e matar o animal usando apenas as mãos. Uma prova de coragem e força!

Para esta cerimônia, são enviados alguns mensageiros para a costa de Moçambique para recolher a “espuma das ondas” do Oceano Índico e trazê-las para a “festa”. No último dia, são queimados os bens reais e utensílios domésticos, no recinto real, onde o povo realiza danças para o rei. Enormes fogueiras são acesas nas colinas ao redor, e é comemorado o início do Ano Novo.

 

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 155

Comentários

Comentários