O outro lado da Covid-19

Fernanda Oteromaio 11, 20206 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/05/c14032ab88215e43320e8e00d298d35bc3f28936.jpg

A sua vida pessoal está sendo afetada pelo coronavírus? A resposta deve ser uma só: sim, está. Cerca de um terço da população mundial está em lockdown com restrições de deslocamento, suspensão das atividades de comércio, programas de cultura e atividades escolares. O meio ambiente também passou por mudanças nesses últimos meses.

Diante da facilidade com que o vírus se espalha e os alarmantes números de mortos vítimas da doença, suspender atividades de convívio social é a medida mais efetiva para diminuir os riscos de contágio. E que governo no mundo se arriscaria a não tomar essas medidas preventivas de distanciamento social?

Os países que estão passando pela quarentena começaram a perceber um outro efeito que talvez não tenha sido calculado pelos especialistas em saúde pública: os benefícios para a saúde do planeta e para o meio ambiente!

Um dos maiores lagos do continente africano, o Lago Vitória, registrou a maior marca histórica de volume de água desde 1964: 13,43m no último dia 8 de maio.

A Índia viu os níveis de poluição do ar diminuírem, revelando pontos do Himalaia, cena que não era registrada há mais de 30 anos.

As águas turvas dos românticos canais de Veneza estão cristalinas, moradores da cidade registraram imagens de peixes nadando entre os famosos barcos venezianos.

Animais selvagens passeando em Margalla, no Paquistão. São muitas as belas imagens das visíveis mudanças de quando a humanidade deixou para trás sua rotina frenética de idas e vindas e emissão de carbono.

De acordo com o Centro de Pesquisa de Energia Limpa e Ar na Finlândia, aparentemente mais de 10% de todo o consumo de petróleo no planeta caiu, o que implica que muitas cidades estão experimentando uma qualidade do ar jamais vista.

Os ambientalistas estão comemorando mas alertam para o que pode acontecer na retomada dos antigos padrões de consumo e modelo econômico: uma piora muito mais agressiva na qualidade do ar, aumento da poluição, retomada dos níveis críticos do início do ano 2020.

O mundo já viveu esse cenário após a mais recente crise financeira mundial que afetou vários países do globo, no ano de 2008. “Com a crise de 2008, o mundo também experimentou uma queda temporária nas emissões”, lembrou Laury Myllyvirta, pesquisador do centro finlandês.

Na ocasião, alguns países iniciaram processos destrutivos ao meio ambiente para retomar a economia, causando devastação e os elevados níveis de poluição a que chegamos antes da pandemia.

“Esta crise poderia ser uma oportunidade de reduzir emissões de carbono. Para milhares de pessoas, foi provado que não há mais razão para os longos deslocamentos ao local de trabalho todos os dias”, refletiu o cientista.

Atualmente, um terço do alimento produzido no mundo é desperdiçado em latas de lixo. A quarentena pode nos ensinar muitas lições. Em se tratando de meio ambiente, podemos aprender com a natureza que menos, às vezes, pode ser muito mais.

 

*Com informações da BBC Future, CNN Travel e Accuweather

 

*Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da RAÇA, sendo de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Comentários

Comentários

Fernanda Otero

Correspondente da RAÇA na Europa e Africa é Jornalista e Tradutora. Foi selecionada com outros cinco jornalistas brasileiros pela Fundação Thomson-Reuters para um curso sobre os Objetivos do Milênio (2015).

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários