África em casa: sessões virtuais de filmes africanos

Redaçãomaio 11, 20207 min
https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Moolaadé-2004-02-cred-Filmi-Doomireew-1280x851.jpg

Entre os meses de maio e julho, a Mostra de Cinemas Africanos promove o Cine África | Em Casa, encontros virtuais para conversar sobre filmes africanos com convidados de todo o Brasil. Adaptando-se ao formato digital, imperativo em tempos de isolamento social, o projeto apresenta nove sessões (três por mês) em torno de filmes do Senegal, Angola, Nigéria, África do Sul, Mali e Mauritânia. Para participar dos encontros gratuitos, os interessados devem se inscrever em mostradecinemasafricanos.com e aguardar instruções para assistir o filme de cada semana. As sessões acontecem sempre aos sábados (os três últimos de cada mês) e sempre às 16h. A programação abrange o período de três meses e pode se estender caso o isolamento social permaneça.

A programação foi montada com base em títulos disponíveis em plataformas de streaming como YouTube (um dos títulos está disponível na Netflix), todos legendados em português. Nas datas e horários programados, os participantes acessam o link da reunião virtual que será enviado por e-mail. “Em tempos de pandemia, decidimos realizar o Cine África | Em Casa, com o objetivo de abrir mais um espaço para diminuir a invisibilidade da cinematografia africana no Brasil”, explica Ana Camila Esteves, uma das organizadoras do evento.

No dia 16 de maio, às 16h, acontece o primeiro encontro para conversar sobre o filme “Mossane” (1996), da cineasta senegalesa Safi Faye, mulher pioneira na realização de longas-metragens no continente africano. A convidada para conduzir o bate-papo com o público é a pesquisadora baiana Evelyn Sacramento, especialista na obra de Faye. A programação inclui filmes de um dos mais importantes cineastas africanos, o senegalês Ousmane Sembène, além de títulos mais recentes como “Félicité” (2017), de Alain Gomis (Senegal), “Lionheart” (2018), de Genevieve Nnaji (Nigéria) e “Heremakono” (2002), de Abderrahmane Sissako (Mauritânia).

Pesquisadores de quatro estados brasileiros fazem parte da programação: Evelyn Sacramento (BA), Marcio Paim (BA), Renata Dariva (RS), Lecco França (BA), Marina Gonzaga (RJ, residente na França), Janaína Oliveira (RJ), Maíra Zenun (RJ, residente em Portugal), Detoubab Ndiaye (BA), Hannah Serrat (MG). A ideia foi convidar estudiosos que já desenvolvem pesquisas em torno de África e cinemas africanos para enriquecer o debate.

O Cine África é um cineclube que tem como principal objetivo difundir a produção audiovisual realizada no continente africano, aumentando o repertório do público brasileiro sobre essa cinematografia. O projeto surgiu em 2019 dentro da programação do Circuito Saladearte em Salvador (Bahia), vinculado à Mostra de Cinemas Africanos. O projeto é coordenado por Ana Camila Esteves, Jusciele Oliveira e Morgana Gama, três pesquisadoras dos cinemas africanos e residentes em Salvador, que se revezam na curadoria, produção e mediação das conversas.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

 

MAIO

16/05 (sab) – “Mossane”, de Safi Faye (Senegal,1996) – Drama ‧ 1h45min

Convidada: Evelyn Sacramento

23/05 (sab) – “Moolaadé”, de Ousmane Sembène (Senegal, 2004) – Drama ‧ 2h4min

Convidado: Márcio Paim

30/05 (sab) – “Sambizanga”, de Sarah Maldoror (Angola, 1972) – Drama ‧ 1h42min

Convidada: Renata Dariva

 

JUNHO

13/06 (sab) – “Inxeba”, de John Trengove (África do Sul, 2017) – Drama ‧ 1h28min

Convidado: Lecco França

20/06 (sab) – “Lionheart”, de Genevieve Nnaji (Nigéria, 2018) – Drama ‧ 1h35min

Convidada: Marina Gonzaga

27/06 (sab) – “Yeleen”, de Souleymane Cissé (Mali, 1987) – Fantasia/Drama ‧ 1h46min

Convidada: Janaína Oliveira

 

JULHO

11/07 (sab) – “Félicité”, de Alain Gomis (Senegal, 2017) – Drama ‧ 2h9min

Convidada: Maíra Zenun

18/07 (sab) – “Ceddo”, de Ousmane Sembène (Senegal, 1977) – Drama/Drama Político ‧ 2h

Convidado: Detoubab Ndiaye

25/07 (sab) – “Heremakono”, de Abderrahmane Sissako (Mauritânia, 2002) – Drama ‧ 1h36min

Convidada: Hannah Serrat

Comentários

Comentários

Redação

https://revistaraca.com.br/wp-content/uploads/2017/08/logo-scaled.jpg

Há 24 anos no mercado, a pioneira e mais antiga publicação negra do Brasil.

Comentários

Comentários