Revista Raça

Capa

FlinkSampa celebra a cultura e a produção literária negra

  • Autor: hamalli

  • Publicado em: 25/10/2018

  • Comentários:

O evento acontece de 19 a 21 de novembro, em São Paulo, e neste ano homenageia a escritora, poeta e ensaísta mineira Conceição Evaristo.

Escritores e pesquisadores da cultura negra estarão reunidos, de 19 a 21 de novembro, na 6ª edição da Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra (FlinkSampa), em São Paulo. A Festa contará com a participação de autores negros do Brasil e outros países, como os moçambicanos Paulo Lins, Renato Noguera, Guiomar de Grammont, Giovani Martins, Cristiane Sobral, Paulina Chiziane, as cubanas Teresa Cárdenas e Giorgina Herrera,  Vera Duarte Pina, de Cabo Verde, António Quino, David Capelenguela, de Angola, e Shirley Campbell, da Costa Rica.

O evento acontece na semana em que se comemora o Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, e neste ano homenageia a escritora, poeta e ensaísta mineira Conceição Evaristo, preterida pela Academia Brasileira de Letras (ABL) em favor do cineasta Cacá Diegues.

O papel da mulher negra na literatura, os dilemas e desafios da ABL: de Machado a Conceição, a atualidade da escritora Carolina Maria de Jesus e a formação de leitores em textos de autores negros integram os temas que serão debatidos durante o evento. Estão programados também palestras, debates, contações de histórias, lançamentos de livros, exposição de produtos de afro-empreendedores e uma infinidade de atividades culturais.

“Uma festa literária é sempre uma forma de aumentar conhecimento, e nosso objetivo maior é ampliar nossos horizontes. Apropriar-se e dividir com você uma rica e diversa literatura que ganhou novos rumos a partir da primeira FlinkSampa, em 2013″, explica Francisca Rodrigues, Pró-Reitora da Faculdade Zumbi dos Palmares, Presidente da FlinkSampa .

PREMIAÇÃO – Durante o evento está programada a entrega do prêmio internacional Agostinho Neto, que distingue trabalhos de pesquisadores angolanos e brasileiros sobre Agostinho Neto, que contribuem para o melhor compreensão da história de Angola, do Brasil e África. Promovida pela Fundação Dr. António Agostinho Neto e pela Faculdade Zumbi dos Palmares, a premiação acontece a cada dois anos. Médico, escritor e político angolano, Neto foi presidente do Movimento Popular de Libertação de Angola e em 1975 tornou-se no primeiro presidente do país.

Paralelamente à programação da Flink, acontece o Festival Afrominuto, com a exibição de vídeos sobre a condição do negro no Brasil, realizados por estudantes das escolas públicas do SESI e Fundação Bradesco. A Flinkinha, voltada para o público infantil, e o Seminário Internacional sobre Memória do Negro na Arte, Literatura e Produção Acadêmica.

Fonte:Exta Classe.org.br

Comentários

Comentários