Conheça a jovem Monique Brito que ama a cultura negra e sonha em difundi-la por meio do turismo

 

TEXTO: Sueli Lima | FOTO: Renatta Maria/Divulgação | Adaptação web: David Pereira

A jovem Monique Brito  | FOTO: Renatta Maria

A jovem Monique Brito | FOTO: Renatta Maria

No Rio de Janeiro, descobrimos a jovem Monique Britto, de 21 anos, estudante e guia de turismo, amante da cultura negra e suas diversas vertentes. E é unindo talento e paixão que Monique pretende difundir, na prática, a história e as raízes do povo brasileiro. “Achava a área de turismo muito incerta, mas estudei o mercado e perdi essa impressão. O que mais me encantou foi a oportunidade de passar para as pessoas a nossa cultura popular e reforçar a nossa identidade cultural, com orgulho e respeito”, diz a carioca, que tem a proposta étnica como foco principal. “Quero usar o turismo como fonte de integração e não fazer aquela coisa tipo safári, em que os turistas encaram tudo como exótico, sem reconhecer sua real importância. Nossa cultura é única e temos que tratar as características do nosso povo como o patrimônio que é. Criar roteiros que mostrem os nossos traços e possibilitem uma vivência da nossa cultura e da nossa história vai ser o meu caminho principal.”

Cultura! Essa parece ser a palavra que mais identifica Monique, principalmente a afro. Na verdade, ela diz, faz parte de sua identidade. “Acredito que só podemos ir em frente se soubermos muito bem de onde viemos. Quanto mais me aproximo de minhas raízes, mais entro em sintonia comigo, é uma forma de equilíbrio.” E quanto à vaidade? “Cabelo e roupas também são formas de reforçar a minha negritude e, principalmente, de me sentir bonita pela minha essência”, acrescenta a jovem, que também estuda teatro e vê nessas duas áreas – arte e turismo – uma forma de representar a cultura negra e levar sua bandeira aos mais diferentes públicos.

EDUCAÇÃO E UM NOVO ORGULHO

Moderna e atenta aos novos rumos da sociedade mais exigente em relação à formação de cada um - Monique classifica como inestimável o valor que a educação tem em sua vida, e credita isso aos pais, que com valores morais e base familiar, moldaram o caráter da filha. “Educação te faz entender o mundo,enxergá-lo de diversos pontos de vista, te apresenta oportunidades e tira boa parte dos limites que travam a gente”, afirma. E, aproveitando o assunto, Monique faz questão de opinar sobre a RAÇA BRASIL e seu foco mais cultural e educacional adotado nos últimos anos. “Achei maravilhoso, porque aproxima as pessoas de suas raízes de verdade. A estética é importante, é! Mas acho que falar da história, do movimento negro, discutir temas e caminhos para uma igualdade verdadeira é super importante também. Falar, expor pensamentos, mostrar ideias e conceitos, e valorizar todos os traços da nossa cultura são fundamentais. É o que a gente precisa, de um meio de comunicação que nos dê voz e nos valorize. Acho que o orgulho que vocês estão despertando agora é muito mais profundo e sólido”, argumenta.

Quer ver essa e outras matérias da revista? Compre essa edição número 161.

Comentários

Comentários