Saiba mais sobre o músico Luis Carlos de Carvalho, conhecido como Carvalinho da Ilha

 

TEXTO: Redação | FOTO: Geremia Photography/Divulgação | Adaptação web: David Pereira

O cantor Carvalhinho da Ilha | FOTO: Geremia Photography/Divulgação

O cantor Carvalhinho da Ilha | FOTO: Geremia Photography/Divulgação

Luis Carlos de Carvalho começou sua trajetória musical ainda menino participando dos cultos religiosos, onde se descobriu cantor. Aos nove anos de idade foi para o Abrigo de Menores, instituição de ensino criada pelo governo de Santa Catarina e administrada pela igreja. Ali tocou primeiramente percussão na banda marcial do Abrigo. Mas seu verdadeiro instrumento foi mesmo o violão, que aprendeu a tocar olhando os amigos do internato desde os dez anos. Aos 18 anos ingressou nas fileiras do exército, onde foi músico da banda militar e também corneteiro do batalhão.

No entanto, o grande destaque de Carvalhinho da Ilha era mesmo a voz. Com seu timbre suave e melódico, cantou canções com interpretações inigualáveis, chegando a ganhar diversos festivais como intérprete e compositor. Iniciou tal carreira como Crooner - termo usado para designar um cantor masculino de um certo estilo de canções populares, muitas vezes românticas. No seu caso, Carvalhinho era acompanhado pela banda de baile Escorpião.

Tempos depois, trabalhando na Telesc, formou um grupo musical onde atuou como cantor por três anos. Nessa época, participou de vários festivais de Samba e MPB em Santa Catarina. Um dos mais lembrados, no entanto, foi o que participou dando voz à canção de João Carlos de Souza, Chega, no Concurso Estadual de Samba de Santa Catarina em 1983. Com essa música, ganharam os prêmios de melhor composição, interpretação e letra. Infelizmente, menos de duas semanas após o concurso, o autor, João Carlos, veio a falecer, vítima de afogamento. A canção é, ainda hoje, cantada e solicitada em todos os shows de Carvalhinho. Ainda nesse período, o artista conheceu a cantora Deborah Blando e passaram a se apresentar juntos com grande sucesso, em particular nas terras catarinenses.
Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 178.

Comentários

Comentários