Caio Fernandes se inspira em Eddy Murphy e Will smith para seguir a carreira de ator

 

Texto: redação | Foto: Willian Lemos | Adaptação Web Sara Loup

Caio Fernandes | Foto: Willian Lemos

Caio Fernandes | Foto: Willian Lemos

Caio Fernandes, de 20 anos, nasceu em São Paulo e, ainda pequeno, foi morar com a família em Praia Grande, cidade do litoral paulista. “Morei no bairro Canto Forte e tive uma infância típica de criança de praia, com brincadeiras na rua até tarde ou no mar sempre que podia e muitas travessuras. Já a adolescência foi com muito trabalho para ajudara minha mãe e a minha avó”, conta o jovem, que foi entregador de água e vendedor. Atualmente,ele mora na capital e trabalha em um restaurante. O novo emprego, porém, parece estar com os dias contados, pois Caio decidiu cair de cabeça na dramaturgia e realizar o sonho de ser ator.

“Essa fixação me acompanha desde os 15 anos, adorava os filmes do Eddy Murphy, assisti todos e imitava ele,assim como outros atores, entre eles, Tyrese Gibson e Will Smith. No momento, Caio cursa a oficina do Projeto Já É!, em São Paulo, por meio de uma bolsa que conseguiu depois de uma triagem com mais 200 jovens. Durante o aprendizado teórico e prático, ganhou também um nome artístico, Caio Smith, devido a certa semelhança com o astro de Hollywood. Com o foco totalmente voltado para a carreira artística, Caio já se revela um talento promissor.

“Recentemente ganhei o concurso Mister Black, realizado pelo Reinaldo da casa FAMA, participei com 12 outros concorrentes. Realizei também um ensaio fotográfico e estou em andamento com quatro das maiores agências do Brasil. E com apenas sete meses dedicados a realizar seu sonho de adolescente, Caio foi parar no Projac. O teste era para a novelinha Malhação (concurso realizado pelo programa Caldeirão do Huck) e, nomeio de 15 mil candidatos, o jovem ficou entre os 120 que foram fazer avaliação na Globo.

“Disseram que eu preciso me aperfeiçoar mais. Não fiquei chateado, pois estou pouco meses nessa vida artística e lá tinha pessoas com mais de 10 anos na luta. Recebi elogios pela minha atuação. Foi uma conquista chegar tão perto e estou me preparando para novos desafios.

Quer ver essa e outras reportagens da revista? Compre essa edição número 169

Comentários

Comentários