Veja trechos da entrevista com a Miss Bahia 2013, Priscila Cidreira

 

TEXTO: Fernanda Alcântara | FOTO: Danilo Tanaka | Adaptação web: David Pereira

A miss Bahia 2013, Priscila Cidreira | FOTO: Danilo Tanaka

A miss Bahia 2013, Priscila Cidreira | FOTO: Danilo Tanaka

Conheça Priscila Cidreira, a Miss que conquistou fãs em todo o país com a sua beleza negra estonteante. Veja trechos da entrevista com a Miss Bahia 2013:

Como você ingressou no mundo dos concursos? Você sempre quis ser miss?

O sonho já existia, mas a oportunidade surgiu quando participei de um concurso na escola e fui eleita a garota da primavera. Daí não parei, foram surgindo outros concursos e eu fui me aperfeiçoando em cada um deles, fui conquistando o meu espaço. Ser miss é algo mágico!

Você ficou em terceiro lugar no Miss Brasil. Como foi a preparação? O que mais te surpreendeu no evento?

A preparação foi corrida, eu só tinha 3 meses para ficar top (risos), então era malhação todos os dias, até aos domingos, dieta pesada, procedimentos estéticos, aulas e outras coisas, mas graças a Deus eu tive grandes parceiros: a academia Espaço Vittal, minha nutricionista, a excelente Naomi Sazaki, a clinica Anima, Dr. Romulo Romano e sua esposa Adriana Romano, Dr. Claudio Bacelar, a minha fisioterapeuta Juliana, o espaço de beleza Flavia Marques, meu cabeleireiro Airton, o Fabio Sande, que fez o meu traje típico e a Gabriela Rocha que esteve ao meu lado durante a preparação. Sem falar da minha família, meus pais, meus irmãos, minha tia Jaciara, que foi uma grande parceira nesse momento e os meus amigos, que com suas energias positivas me fizeram acreditar que eu conseguiria. O evento para mim foi maravilhoso, foi um espetáculo e fiquei muito feliz de fazer parte do show.

No concurso de 2013 houve uma polêmica porque a grande maioria das candidatas do Miss Bahia, maior estado negro do país, eram brancas. Como você viu esta discussão? Achou justa a polêmica?

Acho válida a discussão sobre a participação da população negra em todos os âmbitos. Hoje, com a luta e discussão pela igualdade racial, é válido chamar a atenção para a temática. Além disso, apesar da pouca participação das mulheres negras, é uma grande conquista a representante da beleza da Bahia ser uma mulher negra. Eu não era a única, porém num estado de maioria negra, concordo que o concurso de beleza deveria ter mais representantes da raça.

Ser negra dificultou muito o início de sua carreira? Você passou por preconceitos raciais?

Não, pelo contrário, ser negra sempre abriu as portas para mim, porque quando o negro chega ele faz a diferença, e eu sempre fiz questão de mostrar a minha origem e mostrar o quanto somos belos!

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 186.

Comentários

Comentários