Conheça a história da empreendedora Heloísa Assis, conhecida como Zica

 

TEXTO: Daniel Keny e Fernanda Alcântara | FOTO: Beleza Natural/Divulgação | Adaptação web: David Pereira

A empreendedora Heloísa Assis, a Zica | FOTO: Beleza Natural/Divulgação

A empreendedora Heloísa Assis, a Zica | FOTO: Beleza Natural/Divulgação

Elevar a autoestima das mulheres de cabelos cacheados não é uma tarefa fácil em uma sociedade que enaltece a chapinha. Mas Heloísa Assis – ou Zica, como gosta de ser chamada – aceitou o desafio. Foi na comunidade do Cantagalo, no Rio de Janeiro, que Zica começou a sonhar com a possibilidade de criar um produto para seus cabelos cacheados que valorizasse a beleza natural dos fios ao invés de alisá-los artificialmente.

Foram muitas e muitas tentativas até conseguir inovar e criar um relaxamento especial que superasse sua expectativa. Com a fórmula pronta, abriu o primeiro salão de cabeleireiros do Instituto Beleza Natural, ao lado da cunhada, Leila Velez.

Em 2013, Zica foi eleita pela revista Forbes uma das 10 mulheres mais poderosas do Brasil, juntamente com personalidades como a presidente da Petrobras, Graça Foster, e a modelo Gisele Bundchen. Mas este reconhecimento já era esperado, afinal, Zica foi de empregada doméstica a empreendedora, faturou R$ 140 milhões só no ano de 2012 e recebeu um aporte de R$ 70 milhões do fundo GP Investiments. Atualmente, sua rede tem 13 institutos abertos, com dois mil empregados.

O projeto bem construído do Instituto Beleza Natural foi o que proporcionou o crescimento exponencial e o sucesso da empresa. Zica faz questão que todo o atendimento realizado nos salões seja sistematizado - cada funcionário é responsável por uma parte do processo de tratamento dos cabelos das clientes, buscando proporcionar experiências agradáveis. Segundo Zica, cerca de 270 toneladas da fórmula são utilizadas por mês.

E os números só tendem a aumentar: Até 2018, o plano é abrir 120 lojas no Brasil inteiro.

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 185.

Comentários

Comentários