A USP e a Universidade Paris-Diderot da França firmam acordo para pesquisar sobre as doenças do sangue

 

Texto: Redação | Foto: Divulgação | Adaptação web Sara Loup

Pesquisa na USP | Foto: Divulgação

Pesquisa na USP | Foto: Divulgação

Em uma parceria bem sucedida, cientistas da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Paris-Diderot, na França, firmaram um acordo e criaram o Consórcio Internacional em Hematologia(International Network in Hematology), que terá como objetivo incentivar a colaboração quanto às pesquisas voltadas ao diagnóstico e tratamento da anemia falciforme e outras doenças do sangue.

Os pesquisadores que integrarão o Consórcio Internacional em Hematologia deliberaram sobre o acordo durante o Simpósio em Hematologia e Imunologia USP Paris-Diderot, realizado em maio.A intenção de ambas as instituições é buscar métodos eficazes para diagnóstico e tratamento da anemia falciforme e adaptá-los para países em desenvolvimento.

Apenas 20% dos portadores de anemia falciforme têm indicação para transplante de células tronco hematopoiéticas no Brasil de acordo com o protocolo usado nas pesquisas brasileiras, que exige, entre outras coisas, que o doador seja um irmão compatível. Atualmente, 21portadores de anemia falciforme já foram submetidos ao transplante.

 

Quer ver esta e outras matérias da revista? Compre esta edição número 180

Comentários

Comentários